DOBRE SEUS RESULTADOS

Pequenas mudanças na rotina de treino/alimentação podem proporcionar ótimos ganhos musculares

Saiba que, se você for com fome para academia ou praticar qualquer outra atividade física, seu corpo terá 40% da sua energia retirada do seu próprio músculo (catabolismo), ou seja, é melhor nem treinar. Agora se for treinar alimentado, esse percentual cairá para 15%, bem melhor não é? Se estiver alimentado, ainda fizer uso de algum tipo de carboidrato tipo maltodextrina, esse percentual de energia retirado do seu músculo cai para 3%, muito melhor, agora imagine essa economia em longo prazo. Devemos nos atentar que esses ganhos são lentos, visto a adaptação e outros fatores de treinamento.

Esta quantidade de carboidrato deve ser bem observada, não se deixem levar pela idéia de “quanto mais” “melhor”, pois se essa quantidade de carboidrato for grande, pode ocorrer a chamada hipoglicemia de rebote, em alguns casos, poderá até passar mal e atrapalhar todo andamento do treino. A dica é que dilua uma média de duas a três colheres de sopa de maltodextrina em 500 ou 600ml de água para ir tomando durante o treino.

Outra dica importante é a alimentação pós-treino, mas, quem vai escrever com uma maior clareza sobre as quantidades e qualidades necessárias é o doutorando e nutricionista Rodrigo Vitasovik Gomes. Vou falar de uma maneira mais abrangente. Continuando a dica, de maneira geral, nesse período devemos fazer uma refeição balanceada rica em proteínas, carboidratos e minerais, uma vez que depois do treino é o momento que chamamos de “porta da oportunidade”, o corpo está mais apto a absorver com eficiência tudo aquilo que ingerimos, por isso não devemos ingerir qualquer coisa.

Volto a ressaltar, para saber mais sobre o que, e qual alimento ingerir em toda fase de treinamento para ter uma melhor eficiência para qualquer objetivo, perda de peso ou aumento do volume muscular (hipertrofia), procure sempre um nutricionista.  Vocês podem enviar questionamentos e tirar suas dúvidas com o Rodrigo V. Gomes no ícone alimentação/nutrição.

Continuando nosso assunto sobre melhorar os resultados, é manter essa aliança treino, alimentação e descanso. Se estivermos em um período em que buscamos o desenvolvimento muscular, com certeza a nossa alimentação não será a mesma quando nosso objetivo for a definição muscular. Devemos sempre trabalhar com períodos respeitando os limites do corpo.

A dica é simples, se você estiver em um período de desenvolvimento muscular geral, terá uma necessidade maior de carboidratos e gorduras para promover esse desenvolvimento, enquanto se estiver em um período de definição muscular, estes macronutrientes devem ser reduzidos drasticamente. Esses valores para mais ou para menos somente um profissional da área pode avaliar. O interessante mesmo é um trabalho feito em conjunto (treinador e nutricionista), assim levando os resultados ao extremo.

Bons treinos!